Cachorros de Bikini

Não é um blog sobre cachorros e bikinis

A Graça de Pensar Estranho

    Não é de hoje que eu escuto coisas do tipo “só tu mesmo pra falar um negócio desses” ou um “oux, bicho, tu é doido?” e até mesmo um “tu não existe”. Normalmente ouço isso depois de falar alguma besteira qualquer que acaba pegando de surpresa o outro participante da conversa. Participante esse que é pego de surpresa por nunca ter ouvido algo igual ou por não esperar que alguém diria isso. ´Não importa o motivo ou a pessoa, mas algo que eu já aceitei é que eu penso de um jeito estranho.

    Já ouvi muitas vezes que eu não sou normal e durante muito tempo pensei que não fosse. Aí eu cresci e percebi que o conceito de normalidade é tão relativo que sair carimbando as pessoas com selo de “NORMAL” ou “ANORMAL” não faz sentido, mas ao ver a reação de tantas pessoas, “normais” e “anormais”, em relação com aquilo que eu falava, cheguei à conclusão de que a minha cabeça funciona de uma forma um pouco diferente de boa parte das pessoas. Posteriormente cheguei à conclusão de que isso é responsável por boa parte da graça da minha vida. A melhor parte disso é que eu não estou sozinho nessa.

    É bem provável que você já tenha chamado um monte de gente de “doido”. Também existem grandes chances de muitas dessas pessoas serem amigos ou colegas seus. E é quase certo que você se diverte muito com a suposta doidice desses seus amigos. Acertei? Pois bem, querida criança leitora, não sei se você já parou pra pensar, mas é quase certo que essa pessoa se diverte tanto quanto você.

    Estranho, abstrato, obtuso, doido, esquisito, maluco são normalmente os adjetivos usados quando as pessoas se referem a essas pessoas que tem umas coisas meio diferentonas dentro da cabeça. Normalmente essas pessoas tem afinidade por exercitar a criatividade ou tem gostos considerados peculiares. Também é possível que essa pessoa disfarce, mesmo que inconscientemente, suas estranhezas, até porque nem todo mundo pensa fora da caixa em todas as áreas da vida ou é um ponto fora de todas as curvas da sociedade, mas no final das contas o indivíduo estranho acaba sendo um “indivíduo” no sentido mais forte da palavra. Não que essa pessoa se sinta especial por isso, afinal na cabeça dele as ideias esquisitas são tão normais quanto qualquer outra, mas dificilmente essa pessoa não se diverte com isso.

    A principal vantagem de olhar pro mundo de um jeito diferente é que esse mundo fica bem mais divertido. Imaginar situações absurdas, ter aquela ideia nada a ver ou olhar pra uma coisa séria e imediatamente pensar numa piada ou apenas se abrir pra coisas que muita gente ignora por simples preconceito. A cabeça de uma pessoa dessas acaba se tornando uma espécie de parque de diversões particular. Um parque com possibilidades ilimitadas que sempre tem um brinquedo novo sendo inaugurado esperando alguém entrar e brincar nele.

    Pra encerrar precisamos responder à seguinte pergunta: como essas pessoas ficam assim? A resposta é mais simples do que parece. A verdade é que todo mundo pode ter ideias estranhas, a cabeça de todo mundo pode funcionar de uma forma mais divertida. Depende de cada um. É só abrir a porta da gaiola e deixar as coisas saírem voando. O resultado vai te surpreender.

Compartilhe esse canino em traje de banho

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Anteriores

Eu, Você e Os Hits do Verão

Próximo

Contos de Segunda #72

  1. Bernardete

    Parece produtos seara ” o resultado pode te surpreender “. Não existe isso de anormal , o que existe são modos diferentes de ver a vida.

  2. Exato! Abra a gaiola e deixe um cachorro de bikini voar.

  3. pirados do mundo, uni-vos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén