Cachorros de Bikini

Não é um blog sobre cachorros e bikinis

Barata Voadora

Uns quinze dias atrás estava eu interagindo alegremente com meus amigos no chat quando um deles, que não estava tão participativo e interativo, relatou a experiência de ter vencido, em combate singular, uma barata voadora. Depois de comentar uma ou outra coisa sobre o ocorrido, esse mesmo amigo matador de barata me diz: “tu precisa escrever sobre barata voadora”. Naquele momento eu percebi que, apesar de não saber até então, eu realmente precisava falar sobre barata voadora.

Antes de discorrer sobre essa cria do demônio esse ser tão peculiar, precisamos falar um pouco sobre a barata padrão. A barata é um ser cabalístico, misterioso e  intrigante. Além de sua capacidade de aparecer em qualquer lugar, desaparecer que nem fumaça, ter super velocidade e resistência suficiente pra resistir aos efeitos da radiação ou ao impacto de uma chinela. Ela consegue viver muito tempo sem comer, vários dias sem cabeça e se reproduzir em larga escala. Esses são só alguns dos poderes super artrópodes das baratas. Como se já não bastasse tudo isso, um belo dia a barata foi tocada pelas forças mais malignas da galáxia. Confira abaixo o que (mais ou menos) aconteceu com a barata.

Exatamente isso, caro leitor. Depois de ser tocada pelas forças das trevas mais desgraçadas do universo, a barata comum se transformou em um ser que mais parece ter saído de uma história de Lovecraft: a barata voadora.

Uma barata normalmente não tem habilidades suficientes pra agredir um ser humano. Apesar de suja, inconveniente e transmissora de doenças, a barata não é um ser agressivo. A menos que ela seja uma barata voadora. Pois a primeira coisa que esse engenho de satanás inseto maldito faz é voar direto. DIRETO. DI-RE-TO na sua cara. Essa habilidade ofensiva dispara um gatilho no nosso cérebro que nos faz correr da maldita barata. Ao escapar do voo suicida da maldita, sofremos o efeito da névoa nefasta que ela espalha pelo ar com o bater de suas asas. Depois de nos fragilizar psicologicamente e agredir olfativamente, a barata fica parada esperando terminar o cooldown das skills recuperando suas energias para mais um ataque ou para sua fuga. Nesse momento juntamos o que nos resta de determinação, improvisamos uma arma e partimos pro ataque. Acertamos o alvo, mas o sabor da vitória passa rápido. Mas porquê? Por que a desgraçada ainda está VIVA. As energias das trevas protegem a barata voadora de uma forma que ela se torna um ser imorrível ou pior, ela já morreu e foi ressuscitada pelas energias obscuras do universo. Se tornando um inseto-demônio-zumbi-imortal from hell.

Depois de tudo isso eu só tenho uma coisa a dizer: sou grato a Deus por cada dia que eu passo sem encontrar uma barata voadora. E tenho fé de que Ele vai proteger todo aquele que precisar enfrentar esse ser maldito.

Compartilhe esse canino em traje de banho

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Anteriores

18 a 25 Anos

Próximo

Contos de Segunda #43

  1. Bernardete

    Você falou tudo que eu penso desta criatura terrível, do terror e do esforço sobre humano de quem consegue enfrenta-la e eu só consigo pensar que ainda bem que a barata não transmite chicongonya, zica ou dengue se não seria um terror ainda maior.

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén